Humberto Gomes: “Serei sempre o super herói das minhas filhas “

posted in: Desporto | 0

Nasceu no coração da cidade de Braga, no velhinho hospital de S.Marcos mas quis a vida que aos 2 meses fosse viver para a Venezuela. Voltou a Portugal com 10 anos e é até hoje o guardião do ABC. Humberto Gomes formou-se como guarda-redes de Andebol nos escalões da equipa bracarense, onde conquistou três títulos nacionais e duas Taças de Portugal.

A 29 de Maio de 2010 foi um dos heróis que conquistou a Taça Challenge, na primeira competição europeia ganha por uma equipa portuguesa nesta modalidade. A juntar a estes títulos ergue orgulhosamente o melhor troféu que a vida lhe poderia ter dado. O de ser pai !

Podes falar-nos um pouco do atleta, marido, empresário e pai Humberto Gomes?

Sou um apaixonado pelo andebol, adoro competir, ganhar e a adrenalina existente nos jogos é fantástica. Tenho um grande defeito/qualidade, detesto perder. Nesta altura da minha carreira tento incutir nos mais novos valores que fazem com que o ABC de Braga se diferencie das restantes equipas.

Como marido e pai, sou um apaixonado pela minha família e tenho na minha esposa e nas minhas filhas alicerces para a minha vida em todos os aspectos, são um apoio importantíssimo.

 Quando foi que tomaste a decisão de ser jogador de andebol? Foi fácil enredar por este caminho?

Não conhecia a modalidade de andebol (os meus pais eram emigrantes na Venezuela, e lá não existia andebol) e foi através de um primo que praticava a modalidade que me apaixonei à 1ª vista, a partir daí comecei no desporto escolar e foi quando surgiu o convite do ABC de Braga, foi o facto de poder treinar com a geração de ouro do andebol português (Carlos Galambas, Rui Almeida, Paulo Morgado; Álvaro Martins, Carlos Resende…etc) que tomei a decisão de ser jogador de andebol. Tive a sorte dos Treinadores Alexsander Donner e Jorge Rito terem apostado em mim e com muito trabalho consegui esta bonita carreira que ainda não terminou.

Quando decidiste ser pai alguma vez apareceram receios sobre essa decisão?

Fui pai quando tinha de ser, podia ter sido mais cedo, mas não tinha encontrado a pessoa certa e não tinha a estabilidade necessária. Penso que se aprende a ser pai com o andar da carruagem, juntamente com os princípios e os valores que os meus pais me incutiram..

  Hoje, com duas meninas qual é o sentimento que se impõe?

São duas meninas lindas mas muito diferentes. Tenho um sentimento de responsabilidade maior, de tentar educar o melhor possível, de ser o melhor exemplo possível para elas como ser humano e acima de tudo de fazer com que elas sejam, a cada dia que passa pessoas melhores.

  Achas que podias estar mais presente ou sentes que a sociedade está cada vez  mais a empurrar os pais para fora de casa e os filhos para os colégio durante demasiadas horas?

Até agora penso que estou presente o tempo necessário para que elas no futuro sejam bons seres humanos mas sim, o facto é que cada vez mais o casal necessita de trabalhar mais tempo para poderem dar condições essenciais para o crescimento dos filhos. Torna-se assim essencial os pais, o pouco tempo que têm possam  estar com os seus filhos e dar a liberdade necessária aos educadores/Professores para educar os educar.

Como vês as tuas filhas daqui a uns anos?

Como todos os pais. Espero que sejam duas boas meninas, com boa educação, bons valores e princípios e com muito respeito pelo próximo. Espero que as duas sigam bons caminhos… hoje em dia não é fácil.

São as tuas maiores fãs e aquelas que mais vibram na bancada?

Quando vão ver o jogo do “papi” sim, posso dizer que são as minhas maiores fãs sem dúvida, assim como a minha esposa que me apoia totalmente.

  Assusta-te o facto que ainda existe sobre a dificuldade da mulher singrar na sociedade?

Sinceramente não me assusta, na minha opinião a dificuldade da mulher singrar na sociedade é cada vez  menor e, como em tudo na vida, quando uma pessoa é excelente no que faz só pode singrar na vida, seja homem ou mulher.

  Existe algum ritual de pai e filhas que nos queiras contar?

Sim…Sempre que deixo a Lia no colégio de manhã, damos um beijinho um abraço e mais cinco (risos).

És o seu super herói?

Acho que sim…assim como todos os pais. Os nossos filhos são a nossa riqueza e eles olham para nós como super heróis e tentamos nunca os desiludir.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *